Autoficción
Autoficción

Autoficción

COMPETITIVA INTERNACIONAL – CURTAS

Sinopse

Tomando emprestado o nome do título de um gênero literário, o filme reconhece a indeterminação da ficção e do ser. Os elementos do filme noir são reduzidos a gestos inexpressivos sob a forte luz do sol da Califórnia. Gravações de campo feitas na Nova Zelândia podem ser ouvidas enquanto as mulheres conversam sobre maternidade, aborto, separações e ansiedade. Uma manifestação de direitos civis se move lentamente ao longo de uma rua. Os corpos aparecem em estados de cansaço, feridos ou relaxados, enquanto as canções de Irma Thomas e Goldberg evocam o passar do tempo e um futuro incerto.

Direção

Laida Lertxundi

Laida Lertxundi (Bilbao, 1981) é uma cineasta e artista que vive e trabalha entre Los Angeles e o País Basco. Seus filmes foram exibidos na Whitney Biennial em 2012 e em festivais como Locarno, Toronto, Rotterdam, New York e Gijon, bem como no MoMa em New York e na Tate Modern and Whitechapel Gallery em Londres. Os seus espectáculos passaram pelo Matadero Madrid, LUX (Londres), Tramway (Glasgow), FuturDome (Milão), fluent (Santander) e Tabakalera (San Sebastian), entre outros. Sua obra faz parte da coleção do Museu Centro de Arte Reina Sofia. Em 2019 foi presidente do júri Zabaltegi-Tabakalera no Festival de San Sebastian. Foi chefe do curso de pós-graduação em criação do Elías Querejeta Zine Eskola.

Créditos

Direção: Laida Lertxundi

Produção:  Laida Lertxundi, Gonzalo de Pedro Amatria – Cineteca Madrid

Som:  Laida Lertxundi, Ren Ebel, Christina C. Nguyen

Música: Golberg, Irma Thomas, Bert Hoover, Ren Ebel

Fotografia: Laida Lertxundi

Roteiro: Laida Lertxundi

Montagem: Laida Lertxundi